Últimas notícias do evento

USANDO A PRATA COLOIDAL NA ACADEMIA

Postado em

Já imaginou o risco que você corre em pegar uma micose em objetos comuns na academia como caneleiras?

Já imaginou se cada aparelho que você entra em contato está 100% estilizado diariamente?

Sabe-se que para quem opta por usar o álcool para higiene desses locais, a médica indica que a concentração alcoólica do produto deve ser de 70% para matar bactérias e vírus. Se a concentração for mais alta, o álcool perde sua função microbicida, pois ocorrerá apenas a desidratação da célula sem a destruição do microrganismo.

Porém, a prata coloidal de 100ppm em contato com bactérias e fungos, os elimina a partir de 1 minuto de contato até 30 minutos, permanecendo ainda no local aplicado atuando constantemente. Ela inibe a reprodução dos vírus e não permitirá que ele se reproduza até morrer em contato com o ar.

Isso não é tudo, você pode borrifar nos seus objetos de uso como caneleiras, braçadeiras, tênis, luvas, roupas , pés e axilas para evitar a proliferação de micro organismos que vão causar mal cheio de suor por excesso de fungos.
Nunca mais terá problemas com micose em ambientes e objetos de uso comum.

Você também encontra ela em gel para facilitar a aplicação nas axilas, pés e mãos e o sabonete com prata coloidal para seu banho diário, principalmente sendo uma pessoa muito ativa.

Sabemos que o álcool gel pode ser mais em conta, porém nunca terá a duração de efeito que a prata coloidal dá ao fixar-se nos objetos por longo período, de forma que para Higiene de aparelhos não precisa aplicar diariamente e nem muito, o que traz rentabilidade da solução de 100ppm.

Para esse uso o ideal são as soluções de 100ml 100ppm spray, a de 1 litro 100ppm com borrifador, o gel com prata coloidal e o sabonete com prata coloidal.

Se você ainda tem dúvida acesse nosso Blog e veja Tudo sobre as pesquisas que comprovam em 100% a eliminação de bactérias e fungos, o controle de vírus na pele e em superfícies externas: https://naturalsbrazil.blogspot.com/ 

Naturals Brazil

COMBATENDO MOFO E BOLOR COM A PRATA COLOIDAL

Postado em

Sabemos do poder da prata em geral e suas diversas partículas contra fungos e bactérias.

Porém você sabia que pode usar na limpeza da sua casa, principalmente em áreas com Mofo, limpando ou pulverizando? Gradativamente essas áreas vão tendo os fungos eliminados.

Diferente do que a maioria pensa, o mofo e o bolor não são exatamente a mesma coisa. Os dois são causados por fungos, mas enquanto o bolor apenas infecta os objetos, o mofo corrói o material afetado. O primeiro, em relevo, fica em tonalidade acinzentada e pode ser facilmente removido com pano úmido. Já o segundo deixa pontos pretos mais difíceis de serem retirados, principalmente em objetos fibrosos e tecidos.

A prata coloidal ideal para limpeza desse tipo, eliminação e prevenção é a de 100ppm.

Lembre-se que se houver infiltração, vazamentos, excessos de umidade, a causa deve ser sanada.

A prata coloidal mata os fungos da seguinte madeira:

a) Devido à liberação do íon prata na água ou no ar ambiente úmido, ocorre a ação catalítica deste íon destruindo a membrana plasmática das células das bactérias e dos fungos, pela diferença de potencial (eletropotência) entre a parte interna e externa das células.

b) Outra ação do íon prata, no ambiente úmido (água ou ar), está em penetrar na membrana plasmática da célula bacteriana ou do fungo, destruindo seu citoplasma.

O mesmo processo acontece com fungos conforme mostra em estudos interferindo na reprodução assexuada dos fungos.

Para eliminação total o tempo de contato cm a prata varia de 5 minutos a 30 minutos  dos patógenos expostos à prata coloidal.

COMO USAR A PRATA COLOIDAL PARA ELIMINAR MOFO ( FUNGOS NO AMBIENTE)

– Use prata de 100ppm liquida

– Coloque num borrifador ela pura e pulverize nas áreas afetadas, podendo ter feito uma limpeza no local antes.

– Em caso de infiltração, fonte de umidade, cuidar da causa, pois sabemos que muitos fungos chegam a penetrar até mesmo no concreto.

– Se for para manutenção de algum local, parede, móvel, você pode diluir a prata de 100 ppm em água de chuva ou água filtrada sem cloro, pois é uso externo, num proporção de 50% prata e 50% água.

COMO USAR PARA HIGIENIZAÇÃO DA CASA APÓS LIMPEZA, ENTRE OUTROS

– Sempre para uso externo a Prata Coloidal deve ser de 100ppm

– Spray de prata coloidal sobre e sob pias, armários, ou outros lugares úmidos para ajudar a prevenir e eliminar fungos e mofo.

– Spray de prata coloidal na roupa sazonal antes do armazenamento para eliminar o odor e bolor.

– Spray de prata coloidal no carro para eliminar odores.

– Use a prata coloidal rotineiramente em sua água de lavanderia de lavagem final, para desinfetar, e para adicionar proteção antimicrobiana de lençóis, fronhas, toalhas, panos de prato, fraldas, etc.

– Borrifar, tapetes, edredons cobertores, mantas, travesseiros, colchões, carpetes, cortinas, deixe secar, para fazer controle de ácaros e eliminar fungos.

– Spray de prata coloidal em roupas de caça, antes de uma viagem, para ajudar a eliminar o cheiro humano.

– Prata coloidal Spray em tigelas de alimentos secos para animais (especialmente no exterior) para ajudar a impedi-lo de moldagem em climas úmidos.

– Spray de prata coloidal no interior da geladeira, e nas caixas de armazenamento de alimentos, para evitar a propagação de fungos e bactérias.

– Spray de prata coloidal para cama para animais de estimação e permitir que o ar seco, a fim de impedir a propagação de fungos, mofo e germes.

– Spray de prata coloidal em torno da banheira, de higiene e boxe para evitar germes e evita mofo de crescer.

– Use a prata coloidal na banheira de hidromassagem no lugar de produtos químicos como cloro ou bromo (1 quarto por semana durante os períodos de uso pesado, ou 1 quarto por duas semanas, durante os períodos de baixo uso).

– Spray de prata coloidal em cima de frascos abertos de potes de doce, geleia e condimentos, bem como no interior das pálpebras antes de substituir, a fim de evitar o crescimento de bactérias no alimento que fica preso ao redor dos topos de contêineres.

– Spray de prata coloidal para filtros de ar condicionado após a limpeza, a fim de ajudar a desinfetar e matar patogênicos transportados sobre elas pelo fluxo de ar.

– Spray de prata coloidal para pendurar toalhas de banho, panos de lavagem e panos de prato e toalhas de secagem para ajudar a prevenir a acidificação e bolor.

– Spray de prata coloidal em dutos de casa e escritório de ar e aberturas para evitar que se tornem locais de reprodução para germes, fungos e mofo.

– Spray de prata coloidal em tapetes, cortinas e papel de parede para evitar mofo e bolor e eliminar ovos dos ácaros.

– Adicionar prata coloidal para beber água quando viajar ou acampar desinfetá-lo e mantê-lo fresco e puro, mais tempo.

– Spray de prata coloidal em recém-comprado (ou escolhido) frutas e legumes depois de lavá-los, para evitar o crescimento microbiano e mantê-los frescos por mais tempo.

– Leve um pequeno frasco de spray de prata coloidal em sua bolsa quando for  às compras, assim você pode pulverizar carrinho de compras antes de usar.

– Higienizar locais com queimaduras, acelerando a cicatrização e evitando infecção.

– Spray de prata coloidal em sua escova de dente depois de cada uso, para ajudar a desinfetá-lo e evitar o crescimento de germes.

– Pulverizar no box do banheiro após limpeza para evitar proliferação de mofo.

– Levar um frasquinho spray na bolsa de prata liquida ou gel de prata para higienizar as mãos.

Naturals Brazil

PRATA COM BORRIFADOR: https://www.naturalsbrazil.com.br/product-page/c%C3%B3pia-de-prata-coloidal-100-ppm-1l-naturals-adequar-a-dose-para-20ppm

PRATA 100PPM: https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1111083005-prata-coloidal-naturals-brazil-100-ppm-1li-adaptar-a-dose-_JM

TRATANDO H.PILORY COM PRATA COLOIDAL

Postado em

O H. pylori é uma infecção persistente no estomago causada pela bactéria Helicobacter. Os tratamentos médicos padrão para H. pylori incluem:

Terapêutica tripla: Dois antibióticos: amoxicilina ou metronidazol mais claritromicina com um inibidor da bomba de prótons (embora os inibidores da bomba de prótons possam nos tornar mais suscetíveis à H. pylori por si mesmos, eles trabalham em sinergismo com antibióticos para reduzir a H. pylori)

Terapêutica Quádrupla: Pepto Bismol + tetraciclina + metronidazol + Inibidor da Bomba de Protões.

Porém é possível tratar com a prata coloidal que atua de forma muito eficaz sobre a bactéria. Um quadro que acompanha a infecção é gastrite moderada a crônica, dores estomacais, má digestão que devem ser tratados com orientação médica com anti ácidos, cicatrizantes e uma dieta alimentar.

A prata coloidal vai eliminar a bactéria o que já vai te trazer uma grande melhora.

Há pesquisas publicas no NCBI (Instituto Nacional de Ciências Médicas dos Estados Unidos) mostrando a eficácia da prata coloidal sobre a bactéria.

O tratamento pode demorar de 20 a 90 dias, pois cada caso é um caso e muitas pessoas não respeitam a dieta alimentar, dificultando a melhora.

COMO TOMAR (Sugestão)

Prata de 20 ppm (se for com mais ppm adaptar a dosagem):

15ml pela manhã em jejum (para pessoas de 60 a 80 quilos)

15 minutos depois beber água

30 minutos depois alimentar-se

Por 20 a 90 dias.

Se caso sentir desconforto, use 2 a 3 horas após o café da manhã e duas a 3 horas antes do almoço, sempre com estomago mais vazio. Quanto menos substâncias em contato com  prata melhor.

Só uma vez ao dia? Só, porque a prata permanece dias no seu organismo e entre o líquido das células.

Se caso tiver endoscopia marcada parar de usar 7 dias antes para ter certeza que a bactéria foi eliminada. Se for pode interromper o uso, se não foi retome o uso.

Mas lembre-se, não abandone o tratamento com seu médico e faça uma dieta adequada a seu caso com alimentos leves, baixa acidez com pro bióticos, senão pode não ter o resultado que espera e não poderá dizer que a prata não funcionou, porque ela funciona sim.

Você poder perguntar, mas só 15 ml são suficientes? Sim é, o que determina a eficácia da prata é todo o contexto e como se usa, não a quantidade exagerada.

Qualquer dúvida, só perguntar.

BIOPERSISTÊNCIA DE NANOPARTÍCULAS DE PRATA EM TECIDOS DE RATOS SPRAGE-DAWLEY

Postado em Atualizado em


Em primeiro plano, vamos deixar claro o que é uma nano partícula: é uma partícula que está na escala métrica de 1 a 100 nanômetros, assim, a prata coloidal é uma não partícula, porém coloidal. A pesquisa se aplica a nano partículas de 10 a 25 nanômetros de outro sal de prata, mas pode encaixar-se perfeitamente a prata coloidal, o que altera aqui, é o estado da prata coloidal que terá sua eliminação diferenciada, pelo tamanho e pela carga elétrica.Também mostra como partículas pequenas tem um grande alcance e como permanecem bastante tempo atuando no organismo, não havendo a necessidade de grandes dosagens.


PESQUISA:

Sabe-se que as nano partículas de prata estão distribuídas em muitos tecidos após exposição oral ou por inalação. Assim, entender a depuração tecidual dessas nano partículas distribuídas é muito importante para entender o comportamento das nano partículas de prata in vivo. Para fins de avaliação de risco, a remoção fácil indica uma toxicidade cumulativa geral mais baixa. Assim, para investigar a depuração das concentrações de prata no tecido após a exposição oral às nano partículas de prata, os ratos Sprague – Dawley foram divididos em 3 grupos: controle, dose baixa (100 mg / kg de peso corporal) e alta dose (500 mg / kg de peso corporal) e expostos a dois tamanhos diferentes de nano partículas de prata (diâmetro médio 10 e 25 nm) durante 28 dias. Depois disso, os ratos foram deixados se recuperar por 4 meses. Independentemente do tamanho das nano partículas de prata, o teor de prata na maioria dos tecidos diminuiu gradualmente durante o período de recuperação de 4 meses, indicando a liberação de tecido da prata acumulada. As exceções foram as concentrações de prata no cérebro e nos testículos, que não foram bem claras, mesmo após o período de recuperação de quatro meses, indicando uma obstrução no transporte da prata acumulada para fora desses tecidos. Portanto, os resultados mostraram que o tamanho das nano partículas de prata não afetou sua distribuição tecidual. Além disso, barreiras biológicas, como a barreira hematoencefálica e a barreira testicular, pareciam desempenhar um papel importante na depuração da prata desses tecidos.INTRODUÇÃOEntre os nanomateriais, a aplicação comercial de nano partículas de prata é a mais difundida, onde sua atividade antimicrobiana tem sido aplicada a roupas de cama, máquinas de lavar, purificação de água, pasta de dentes, xampu e enxágue, mamilos e mamadeiras, tecidos, desodorantes, filtros, utensílios de cozinha, brinquedos e umidificadores [ 1 ]. Nano partículas de prata também foram adicionadas a produtos médicos, incluindo curativos, contraceptivos, instrumentos cirúrgicos, próteses ósseas e cateteres cardíacos [ 2 , 3 ].
Em pesquisas anteriores, os órgãos-alvo das nano partículas de prata demonstraram ser o fígado em um estudo de toxicidade oral de 28 dias [ 4 ] e um estudo subcrônico oral de 90 dias [ 5 ], e o fígado e os pulmões em estudos de inalação de 90 dias. [ 6 , 7 ]. Como resultado, esses estudos definiram o NOAEL em 30 mg / kg / peso corporal [ 4 , 5 ] no estudo de toxicidade oral de 28 dias e no estudo subcrônico oral de 90 dias, e 100 μg / m 3 [ 6 ] e 117 μg / m 3 [ 7] no estudo de inalação de 90 dias e no estudo de toxicidade de 12 semanas, respectivamente. Estudos adicionais também descobriram que a prata originária das nano partículas de prata é distribuída em todos os tecidos, incluindo fígado, rins, pulmões, baço, cérebro, sangue, ovários e testículos [ 8 – 10 ]. Uma distribuição de prata relacionada ao gênero nos rins também foi consistente nos resultados dos estudos de inalação de 28 dias, 90 dias e 12 semanas acima mencionados [ 4 , 6 , 7 ] e estudos orais de 90 dias [ 5] Assim, o comportamento da depuração é um determinante importante para prever os efeitos crônicos das nano partículas de prata acumuladas nos tecidos. Vários estudos já investigaram a depuração da prata acumulada no tecido após a exposição iv (intravenosa) ou oral a diferentes tamanhos de nano partículas de prata e íons de prata, por exemplo, após 5 dias de exposição iv a 17 dias após a exposição [ 8 ], após 28 dias de exposição oral a 8 semanas após a exposição [ 9 ] e após 90 dias de exposição por inalação a 90 dias após a exposição [ 7] No entanto, não houve um estudo de longo prazo após a exposição da cinética de depuração da prata acumulada no tecido após a exposição subaguda à nano partícula de prata oral. Por conseguinte, neste estudo, os ratos receberam nano partículas de prata por via oral por 28 dias e foram recuperados por quatro meses para identificar a depuração da prata acumulada no tecido.


VEJA TABELA: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3734196/table/T1/?report=objectonly


O objetivo deste estudo foi avaliar a depuração de prata dos tecidos após a interrupção da administração de nano partículas de prata. As concentrações de prata no sangue diminuíram rapidamente durante o primeiro mês de recuperação e continuaram até 4 meses, indicando particionamento contínuo dos tecidos para o sangue. Outros tecidos, incluindo fígado, baço, ovários e rins, também mostraram um grau de depuração da prata acumulada durante o período de recuperação de quatro meses. No entanto, as concentrações de prata nos testículos e no cérebro não diminuíram para os níveis de controle, mesmo após o período de recuperação de quatro meses, indicando que a depuração da prata é difícil através de barreiras biológicas, como a barreira hematoencefálica ou a barreira testicular.


Veja a pesquisa completa em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3734196/

PORQUE NÃO ENCONTRO POSOLOGIA DE COMO TOMAR A PRATA COLOIDAL

Postado em

É simples, porque cada caso é um caso e como a variedade de patógenos, de pesos, de gravidade, de interferências é muito grande, fica difícil generalizar. 

Veja, vamos fazer uma lista de variáveis do que precisa ser avaliado para decidir a dose certa: 

1- Qual o patógeno: vírus, fungo, bactérias, super-bactérias, biofilms, príon, parasita, protozoário. 

2- Quantidade de patógenos envolvidos e se há agravantes. 

3- Tempo de vida de cada um deles sem se reproduzir, isso determina o tempo de tratamento. 

4- Qual a condição do sistema imunológico da pessoa, pois se este estiver baixo (o que dá para saber justamente porque está doente) deve-se tratar com alimentação adequada, mudança de hábitos e suplementação, senão seu tratamento será em vão em alguns casos, principalmente viroses. 

5- Peso da pessoa, para adequar a dosagem, de forma que o organismo consiga eliminar a prata, as bactérias mortas e as toxinas delas de forma rápida sem acumular no organismo. 

6- A causa da infestação por patógenos. 

Esses são os fatores principais a serem observados. 

A partir daí pode-se ter uma base aproximada de quanto e como usar. 

Lembrando sempre que a mudança de hábitos de vida e alimentares pode ser fator decisivo para um resultado eficiente e definitivo. 

******************* 

FRACIONAMENTO É DESNECESSÁRIO 

Vemos muitos profissionais indicando a prata como se fosse um medicamento comum onde a prescrição é de 6 em 6 horas ou de 8 em 8 horas, totalmente desnecessário para o metabolismo humano, pois a prata fica na circulação sanguínea de 3 a 5 dias em sua potência máxima, por permanecer no líquido dentre as células e no interstício. Como coloide, levará alguns dias para ser eliminada. 

Doses fracionadas é mais indicado para animais que eliminam com maior rapidez. 

Como sabemos disso? Está em dezenas de pesquisas nas Universidades pela internet como a pesquisa sobre nano partículas com tamanho de 10 a 25 nanometros: “Biopersistência de nano partículas de prata em tecidos de ratos Sprague – Dawley”. 

******************* 

DOSAGENS 

Com base em que? 

Na norma Silver CASRN 7440-22-4, que fala sobre nano metais de prata, 

Nano metais estão na escala de 1 a 100 nanômetros, portanto a prata coloidal também é um nano metal e nano partículas, conforme explica a química. 

O que faz a prata atuar não é quantidade, mas como você usa para cada circunstância. 

******************* 

ADULTOS 

Para uma pessoa com média de peso de 60 a 80 kg de prata de 20ppm (partes por milhão). 

Uma vez ao dia, para metabolismos acelerados, dividir a dose de 2 a 3 vezes ao dia. 

A dose máxima para humanos é de 25 ml. Doses maiores serão ministradas conforme o peso e orientação médica ou terapeuta: 

SISTEMA IMUNOLÓGICO ESTÁVEL SEM DEFICIÊNCIA MINERAL E VITAMÍNICA 

Sabemos que se seu sistema imunológico estiver bom, terá mais viroses que infecções sérias, concorda?. Assim as doses podem ser menores, sem a necessidade de suplementação vitamínica e mineral. 

1 a 5 ml : dosagens de proteção contra gripes e resfriados causados por vírus. 

5 a 10 ml: Para resfriados, gripes, infecções sem febre e não graves, sinusites. 

15 ml: Para estados febris e com agravantes. 

Para outras condições consulte o vendedor, terapeuta ou médico. 

O tempo de uso variará conforme o caso, do tempo de vida da bactéria, fungo ou vírus, sem se reproduzir, de seus hábitos, das complicações que você tiver. 

SISTEMA IMUNOLÓGICO BAIXO COM DEFICIÊNCIAS MINERAIS E VITAMÍNICAS 

Deve-se fazer uso de suplementação vitamínica e mineral associadas à prata coloidal verdadeira: 

– 1 a 5 ml: dosagens de proteção contra gripes e resfriados causados por vírus. 

– 5 a 10 ml: Para resfriados, gripes, infecções sem febre e não graves, sinusites. 

– 15 a 20ml: Para infecções graves causadas por fungos e bactérias, viroses com sintomatologia, iniciando com doses baixas e aumentado a cada 5 a 7 dias para evitar reação de Jarish Herxheimeir que é uma reação alérgicas às toxinas das bactérias. 

– 20 a 25ml: Super bactérias, HIV, Infecção geral e grave, iniciando com doses baixas e aumentado a cada 5 a 7 dias para evitar reação de Jarish Herxheimeir que é uma reação alérgicas às toxinas das bactérias. 

*********************************** 

CRIANÇAS E SOBREPESO 

CALCULANDO PARA PESOS MENORES QUE 60KG OU MAIORES QUE 80KG 

Defina a dose para o caso de um adulto, primeiro, conforme o que vai tratar. 

Calcule um índice pelo ml e o peso padrão que você iria usar se tivesse 60 a 80 kg 

Exemplo: 

ml : 70kg = x 

10ml : 70kg = 0,142 

15ml : 70kg = 0,214 

20ml : 70kg = 0,285 

25ml : 70kg = 0,357 

Você pega esse índice que equivale à dosagem de 10 ml, por exemplo, e multiplica pelo peso da pessoa com menos de 60 ou mais de 80: 

Exemplo: 0,142 x 30kg = 4,26ml será o resultado. 

************************************* 

PARA ANIMAIS (MAMÍFEROS) 

Deve-se fazer uso de suplementação vitamínica e mineral adequada ao animal,sempre, com proteção estomacal para vitaminas com ferro (consulte o veterinário) associadas a prata coloidal verdadeira: 

Faça sempre um teste na pele e na mucosa antes, também administrar dose pequena e observar a reação, pois há animais muito alérgicos, que é raro, mas que podem ter um quadro de choque anafilático. 

DOSE: As doses para animais são de 1/3 do peso do animal em ml. 

Exemplo: 

Animal de 27kg : 3 = 9ml 

Dividir esses 9ml em duas doses de 4,5ml a cada 12/12horas 

O tempo de uso dependerá do tempo de vida da bactéria, fungo ou vírus, sem se reproduzir + 10 dias. 

*************************************************** 

INALAÇÃO 

COMO? 

Não deve usar soro fisiológico, porque se a prata que você comprou ou fez tiver prata Iônica ( que perde íon), irá reagir com o cloreto de sódio da solução fisiológica e virar cloreto de prata que ao entrar no organismo fixa nas células e causa problemas. 

Assim, o ideal é usar, água de injeção que é estéril e 0 partículas por milhão, ÁGUA DESTILADA COM 0 PARTÍCULAS ou água de chuva filtrada e fervida. 

A água de injeção, você pode comprar em lojas que vendem material hospitalar. Você encontra em ampolas de 15 ml, 100 ml, 250 ml, 500 ml e 1 litro. 

Também, água destilada e água de chuva, filtrada e fervida. 

Use um aparelho de inalação, de preferência ultra sônico, pela qualidade e quantidade da névoa, dessa forma terá mais eficiência. 

Para 5 ml de água de 1 a 5 gotas de prata coloidal verdadeira de 50 a 100 ppm, conforme a idade e o caso. 

Por exemplo, Uma criança, basta 2 gotas, um adulto até 5, mesmo em casos graves, melhor tomar inalação mais vezes do que uma quantidade grande de gotas na inalação. 

EM QUE CASOS USAR? 

Sinusites, gripes, rinite, resfriados, bronquite, alergia causada por fungos, vírus e bactérias, pneumonias, tuberculose, entre outras. 

Você pode associar, com intervalos de 2 a 3 horas, inalações comuns com soro fisiológico para hidratar as vias respiratórias ou conforme orientação médica ou terapêutica. 

ALGUMA REAÇÃO? 

Somente se você for alérgico a prata, por isso faça um teste na pele antes para ver se ocorre alguma reação e na mucosa da boca. Se não fez e for, basta interromper o uso e usar um anti alérgico simples se for necessário. 

********************************** 

VERMINOSES 

A prata coloidal atua com muita eficiência sobre os Oocistos dos parasitas e protozoários, dissolvendo a membrana que recobre o ovo, seja no organismo humano ou na água potável, porém em vermes adultos, não atuará em todos. Em parasitas microscópicos como O toxoplasma, mostra que a prata com partículas de 10 nanômetros impedem o crescimento do parasita, mas me vermes de outras espécies não a informação. 

Assim, o ideal é você, usar um antiparasitário natural e a prata para eliminar os ooscitos desses parasitas. Usa-se sempre na |Lua cheia e lua nova, porque é o período em que a maioria dos vermes migram para o intestino para copular e botar ovos. 

Que você precisa melhorar seu sistema imunológico. 

– Que muitas doenças precisam de mais cuidados como mudar os hábitos. 

Assim, podemos explicar uma média base segura para o uso e suas dosagens. 

Essas são indicações mínimas, que podem ser aprimoradas e ajustadas para cada caso.

Naturala Brazil

A CONFUSÃO DAS PARTÍCULAS DE PRATA E SEUS TAMANHOS.

Postado em

Não confunda, toda mistura é chamada de dispersão, mas podemos classificá-las pelo tamanho das partículas da seguinte forma, de uma maneira bem simples.

– Solução

As partículas não podem ser vistas , não podem ser separadas numa filtração e não dispersam a luz, a solução é incolor. Seu diâmetro é menor que 1 nanômetro, pode adentrar a célula e causar danos no DNA, se ligar a célula e causa alguma coloração na pele. Também chamada de solução iônica.

– Dispersão Coloidal

As partículas apresentam aspectos homogêneos, podem ser separadas por filtros finíssimos e dispersam a luz, no caso da das partículas de prata tem coloração amarela, no seu tamanho ideal para tratamento, portanto tem cor. Seu diâmetro vai de 1 a 100 nanômetros, capaz de entrar no organismo e sair de forma tranquila, fica na superfície da célula e no líquido entre elas.

– Suspensão

As partículas podem ser vistas a olho nu ou por microscópio. É uma mistura heterogênea e suas partículas se sedimentam, sendo facilmente filtradas. Seu diâmetro é maior que 100 nanômetros e podem ficar retidas no organismo causando sérios danos.

– A Carga Das Partículas Dispergentes (Partículas sólidas)

Geralmente as partículas pequenas se juntam para formarem o coloide (macromolécula) por ligações intermoleculares. Por sua vez os coloides formados possuem a sua carga elétrica própria, portanto; para ser uma dispersão coloidal deve haver uma carga elétrica nas suas partículas constituintes.

A carga elétrica do disperso é igual para todas as partículas do meio, porque é essa carga elétrica que manterá esses coloides equidistantes uns dos outros criando a repulsão ou dispersão dentro da solução aquosa.

Se a carga do dispergente for positiva todas as suas partículas serão positivas (prata coloidal verdadeira com carga positiva).

Se a carga do dispergente for negativa todas as suas partículas serão negativas e se manterão afastadas umas das outras (prata coloidal iônica).

É essa carga elétrica que atua sobre as bactérias e fungos, e permite a prata coloidal verdadeira, fazer uma cobertura na membrana da célula impedindo que os vírus entrem e se multipliquem.

Naturals Brazil

ESTUDO MOSTRA O EFEITO DA SOLUÇÃO DE PRATA IÔNICA OU NANO PARTÍCULA DE PRATA MENOR QUE UM NANÔMETRO NO ORGANISMO HUMANO.

Postado em


Nano partícula é toda partícula menor que 100 nanômetro, porém essa que é menor que um que é foco do estudo.Assim, tome cuidado ao comprar sua prata, escolha um fornecedor responsável que faz a dispersão de prata coloidal verdadeira, com partículas coloidais, amarelas sem a prata iônica na solução que é eliminada no processo de fabricação de uma forma segura.


Essa solução pode até ser ingerida, mas em curto prazo, em longo prazo, você pode ter sérios prejuízos. Lembre-se, você se deixa enganar porque quer espertos sempre vão existir diante de quem os mantem.
Vamos ao estudo sobre as nano partículas menores que um nanômetro ou nano partículas.


RESUMO DO ESTUDO
ResumoSabe-se que as nano partículas de prata (AgNP) penetram no cérebro e causam morte neuronal. No entanto, há uma escassez de estudos que examinam o efeito do AgNP nas células imunológicas residentes do cérebro, a microglia. Dado que a microglia está implicada em distúrbios neurodegenerativos, como a doença de Parkinson (DP), é importante examinar como os AgNPs afetam a inflamação microglial para avaliar completamente a neurotoxicidade do AgNP. Além disso, entender o processamento AgNP por micróglia permitirá uma melhor previsão de sua biorreatividade a longo prazo. No presente estudo, a captação in vitro e a transformação intracelular de AgNPs com cobertura de citrato por microglia, bem como seus efeitos na inflamação microglial e neurotoxicidade relacionada foram examinados.


A microscopia analítica demonstrou internalização e dissolução de AgNPs na microglia e formação de sulfeto de prata não reativo (Ag 2 S) na superfície dos AgNPs. Além disso, a expressão microglial regulada pelo tratamento com AgNP da enzima sintetizante cistationina-γ-liase (CSE), sulfeto de hidrogênio (H2S). Além disso, os AgNPs mostraram efeitos anti-inflamatórios significativos, reduzindo a produção de EROs estimuladas por lipopolissacarídeos (LPS), óxido nítrico e TNFα, o que se traduziu em toxicidade microglial reduzida para neurônios dopaminérgicos. Portanto, os presentes resultados indicam que a formação intracelular de Ag 2 S, resultante da produção de H 2 S mediada por CSE na micróglia, sequestra os íons Ag + liberados dos AgNPs, limitando significativamente sua toxicidade, reduzindo concomitantemente a inflamação microglial e a neurotoxicidade relacionada.


O uso generalizado de nanopartículas de prata (AgNPs) em vários produtos de consumo, variando de embalagens de alimentos a sprays antibacterianos e purificadores de água 1 , 2 , levantou preocupações sobre seus potenciais efeitos adversos à saúde humana. De fato, os AgNPs são capazes de induzir citotoxicidade em células humanas de pulmão, pele e fibroblastos 3 , 4 , 5 . Em relação ao sistema nervoso central (SNC), os AgNPs demonstraram ser capazes de atravessar a barreira hematoencefálica 6 , 7 e se acumular no cérebro após a ingestão 8 e a inalação 9 , 10 . Além disso, um crescente corpo de evidências indica que os AgNPs são capazes de induzir diretamente citotoxicidade em neurônios in vitro 11 , 12 , 13 , 14 , 15 e causar neurodegeneração in vivo após administração oral 16 , 17 , gástrica 18 ou nasal 19 . No entanto, os mecanismos precisos da neurodegeneração não são totalmente compreendidos. Portanto, os efeitos dos AgNPs em outros tipos de células do SNC e sua contribuição para a neurodegeneração induzida por AgNP precisam ser examinados mais minuciosamente.


Microglia são as células imunológicas residentes no cérebro, responsáveis pela montagem de reações inflamatórias protetoras para destruir os patógenos invasores 20 . No entanto, a inflamação microglial excessiva é capaz de induzir danos neuronais colaterais através da superprodução de fatores pró-inflamatórios, como o fator de necrose tumoral da proteína pró-apoptótica (TNF) -α, espécies reativas de oxigênio (ROS) e óxido nítrico (NO), e está implicado na morte neuronal crônica observada em doenças neurodegenerativas, como a doença de Parkinson (DP) e a doença de Alzheimer 21 , 22 , 23 . Além disso, demonstrou-se que os nanomateriais são capazes de induzir inflamação cerebral e alterações relacionadas a doenças neurodegenerativas 24 , 25 , 26 , 27 . Portanto, é importante examinar o efeito dos AgNPs na viabilidade e inflamação das células microgliais para entender completamente a neurodegeneração induzida por AgNP e se a microglia exposta a AgNP exacerba esse processo.


Além de montar reações inflamatórias para a destruição de patógenos, as micróglias são responsáveis pela fagocitose de material estranho 20 . Trabalhos anteriores em nosso grupo mostraram que as micróglias têm capacidade para internalizar e degradar materiais nanosizados 28 . Portanto, espera-se que eles sejam o principal tipo de célula responsável pelo processamento de AgNPs que penetram no cérebro. Portanto, entender como as micróglias adotam os AgNPs e os mecanismos empregados para processá-los permitirá uma melhor previsão da biorreatividade e biopersistência dos AgNPs.


A toxicidade do AgNP decorre principalmente dos íons Ag + liberados que interagem e danificam as membranas celulares, grupos de proteínas tiol e DNA 29 , 30 , 31 , 32 . Estudos anteriores indicam que a toxicidade do nanofio de prata pode ser limitada pelo sequestro de íons Ag + liberados por meio de reações de sulfureto 33 . No entanto, não se sabe se a sulfetação do íon Ag + é provocada por nanopartículas de prata em células microgliais e, se houver, qual mecanismo é empregado. Com essas questões em mente, este estudo emprega a linha celular N9 microglial de murino e caracterizou completamente os AgNPs com tampa de citrato para testar a hipótese de que os íons Ag + liberados dos AgNPs após endocitose por células microgliais induzem a expressão de enzimas sintetizadoras de H2S, levando a reprecipitação de íons de prata como Ag 2 S insolúvel, reduzindo a toxicidade dos AgNPs. Como o H2S é um potente agente anti-inflamatório 34 , o efeito dos AgNPs na inflamação microglial também é examinado pela quantificação dos fatores pró-inflamatórios ROS, NO e TNF-α. Além disso, a linha celular neuronal dopaminérgica N27 é empregada para examinar se a modulação da inflamação microglial por AgNPs afeta a neurotoxicidade mediada por microglia.

CARACTERIZAÇÃO DAS NANO PARTÍCULAS MENORES QUE UM NANÔMETRO
Os AgNPs foram sintetizados internamente e caracterizados por microscopia eletrônica de transmissão (TEM), microscopia eletrônica de transmissão de varredura com espectroscopia de raios X com dispersão de energia (STEM-EDX), difração de elétrons de área selecionada (SAED), luz potencial e dinâmica de zeta (ζ) análises de espalhamento (DLS). A microscopia eletrônica de transmissão mostrou que as AgNPs possuíam morfologias esferoides uniformes, com um diâmetro médio de 49,7 ± 10,5 nm ( Fig. 1a, b ) ( Tabela 1 ). Os padrões SAED ( Fig. 1c ) mostraram espaçamentos de rede característicos de 0,236 nm, 0,204 nm e 0,145 nm (MENOR QUE 1 NANOMETRO), correspondendo aos planos (111), (200) e (220) de prata metálica (consulte a Tabela S2 ). Os espectros de EDX adquiridos dos AgNPs ( Fig. 1d ) identificaram apenas prata da amostra, confirmando a remoção bem-sucedida de impurezas após a lavagem com água DI e que nenhum sulfeto adventício foi formado antes da exposição celular 35 . As medições de DLS mostraram AgNPs agregados em partículas de tamanho maior após 1 hora de incubação em meio de cultura de células RPMI ( Tabela 2). A medida DLS foi consistente com as medidas de potencial potential indicando que os AgNPs se tornaram menos negativos no RPMI a pH 7, em comparação com a água DI ( Tabela 2 ). A mudança no potencial probably provavelmente surge devido ao efeito de triagem de sais no meio de cultura de células na carga superficial de partículas coloidais, que atua para diminuir as forças repulsivas eletrostáticas entre as superfícies das partículas, levando à agregação de AgNPs.


Imagens de TEM de campo claro (BF) confirmaram a captação microglial de AgNPs após um tratamento de pulso de 1 hora seguido de um período de perseguição de 24 horas ( Fig. 2a, b ). As AgNPs foram observadas nas vesículas do tipo endossoma / lisossomo, bem como no citoplasma ( Fig. 2a, b , setas). Alguns AgNPs aglomeraram-se dentro das vesículas ( Fig. 2a , inserção), possivelmente devido ao pH mais baixo do ambiente intravesicular e força motriz termodinâmica para minimizar a energia superficial total do AgNP.


Estudo completo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5333087/ (Use o Chrome para traduzir se precisar)


Dessa forma, fica o alerta para terem cuidados com o uso de prata feita de forma incorreta, lembrando que As soluções iônicas são sempre transparentes porque não podem ser separadas numa filtração e não dispersam a luz. Seu diâmetro é menor que 1 nanômetro, pode adentrar a célula e causar danos no DNA, se ligar a célula e causa alguma coloração na pele. Também chamada de solução iônica.


Já a prata coloidal ou dispersão coloidal, as partículas apresentam aspectos homogêneos, podem ser separadas por filtros finíssimos e dispersam a luz, no caso das partículas de prata com tamanho ideal de 1 a 40 nanômetros terão a coloração amarela, portanto tem cor, ao contrário do que dizem. Seu diâmetro vai de 1 a 100 nanômetros, capaz de entrar no organismo e sair de forma tranquila, fica na superfície da célula e no líquido entre elas. Essa é a prata correta para você usar e se beneficiar.


Para lembrar, nanómetro ou nanômetro, antes conhecido como milimícron ou milimicro, é uma unidade de medida de comprimento do sistema métrico, correspondente a 1×10−9 metro ou 0.000000001 metro (um milionésimo de milímetro ou um bilionésimo de metro). Tem como símbolo nm.


Naturals Brazil