Mês: fevereiro 2019

OURO MONOATÔMICO NÃO É OURO COLOIDAL

Postado em

 
As pessoas tendem a confundir um com o outro, mas não são iguais
 
O ouro coloidal é uma solução de coloides feita como uso de uma fonte elétrica adequada, sais em soluções especificas, eletrodo de ouro 24 quilates num processo de eletrólise.
 
 
O ouro monoatômico é chamado de orme (“Orbitally Rearranged Monoatomic Elements”) ou ormu, é feito por um processo complexo o ouro derrete a a altas temperaturas, misturado a ácidos entre outras substâncias.
 
O Sr. Hudson é constantemente citado quando se fala de ouro monoatômico e ORMUS em geral, e teria sido ele o criador do termo “Orbitally Rearranged Monoatomic Elements” (ORME).
 
  Hudson era agricultor e na década de 1970 começou a fazer pesquisas com amostras de minerais e solo em sua própria fazenda, acabando por dedicar muito tempo e dinheiro a essa atividade. Como não tinha formação acadêmica convencional, criou suas próprias “teorias” para explicar os diversos resultados que foi observando durante seus experimentos que duraram muitos anos.
 
Em suas palestras, Hudson fez declarações incríveis como esta (da Referência [24]) :
 
”Keep in mind that the Soviet Academy of Sciences, the most prestigious scientific body in the Soviet Union and Johnson-Mathewe- Inglehart produce all the precious metals in the world. The mining activity of the best deposit in the world in South Africa for six of these elements (Pd, Pt, Os, Ru, Ir, and Rh — i.e. no silver or gold) may yield only one-third of one ounce of the precious metals per ton of ore. They go a half mile down into the ground, following an 18 inch seam of material, to get 1/3 of 1 oz per ton of all the precious elements. No one else knows it’s there, and no one can analyze it. We, on the other hand, are able to derive and identify out of one ton of ore: 6-8 ounces of Palladium, 12-13 ounces of Platinum, 150 ounces of Osmium, 250 ounces of Ruthenium, 600 ounces of Iridium, and 1200 ounces of Rhodium!!”
 
 
 
  Isto é, ele alegou que com seu método poderia extrair 6.663 vezes mais paládio, platina, ósmio, rutênio, irídio e ródio, do minério do que se consegue pelos meios convencionais. De uma tonelada de minério, ele extrairia 62,94 quilos destes metais preciosos, em lugar das 9,45 gramas obtidas normalmente !!!!!
 
  Registrou patentes de suas descobertas em vários países, e aqui você pode examinar a patente inglesa de 1989. Logo no início, Hudson esclarece que sua invenção permite separar a forma monoatômica de certos elementos metálicos, deste modo possibilitando obter metais no estado-m a partir de sua forma comercial :
 
”This invention relates to the monoatomic forms of certain transition and noble metal elements, namely, gold, silver, copper, cobalt, nickel and the six platinum group elements. More particularly, this invention relates to the separation of the aforesaid transition and noble metal elements from naturally occurring materials in their orbitally rearranged monoatomic forms, and to the preparation of the aforesaid transition and noble metal elements in their orbitally rearranged monoatomic forms from their commercial metallic forms. The materials of this invention are stable, substantially pure, non-metallic-like forms of the aforesaid transition and noble metal elements, and have a hereto unknown electron orbital rearrangement in the “d”, “s”, and vacant “p” orbitals. The electron rearrangement bestows upon the monoatomic elements unique electronic, chemical, magnetic, and physical properties which have commercial application.”
 
 
 
  A patente inclui um procedimento de 21 etapas para a obtenção de ouro monoatômico (G-ORME) na forma de um pó branco. A complexidade do procedimento ressalta o ridículo dos métodos caseiros para obtenção de G-ORME que circulam na Internet.
 
Dessa forma, para obter o ouro monoatômico verdadeiro é necessário um aparato de laboratório com equipamentos capazes de elevar o ouro a altas temperaturas.
 
Cuidado como que você compra e cuidado com a confusão.
 
Leia mais sobre:
 
 

PRATA COLOIDAL E REAÇÃO DE JARISCH-HERXHEIMER

Postado em

VOCÊ SABIA QUE DEVE TOMAR PRATA COLOIDAL AUMENTANDO AOS POUCOS POR CAUSA DA REAÇÃO DE JARISCH-HERXHEIMER?

Qualquer um que experimente a prata coloidal em qualquer período de tempo terá de compreender a reação de Jarisch-Herxheimer (ou reação Herxheimer).

A prata é eficaz como um eliminador de bactérias, fungos e leveduras e um controlador de vírus, mas uma pessoa muito seriamente doente pode sofrer de uma reação causada pela libertação de toxinas, causada pela morte em larga escala desses agentes patogênicos.

Embora este seja um processo normal e não a causa, normalmente, quaisquer problemas evidentes para a pessoa que faz o tratamento com a prata coloidal, por vezes, o agente patogênico que morre é tão grave que a pessoa começa a sentir mais do que a indisposição e desconforto inicial da doença, achando que é devido à doença.

Quando uma pessoa está tomando a Prata Coloidal ou CS, pela primeira vez, pode também haver um efeito a partir da mortandade de muitos milhões de bactérias (normalmente inofensivos) dentro do corpo.

É necessário criar um novo usuário da Prata Coloidal, consciente deste efeito, para que eles entendam que esta é uma parte normal do processo de cura, e não ver isso erroneamente como sendo causado diretamente pelo uso da prata.

O Herxheimer é normalmente de curta duração e pode ser considerado como uma forma de desintoxicação pelo organismo, e o corpo pode apresentar sintomas semelhantes aos da gripe; leve a moderada febre, dor de cabeça, dor nas articulações e músculos, dores no corpo, dor de garganta, mal-estar geral, sudorese, calafrios e náuseas.

A pele, sendo um órgão excretor, o 3º maior do corpo humano, conhecido para a eliminação de venenos e toxinas, também pode mostrar manchas exageradas ou coceira.

Assemelha-se a definição médica de sepse (que não é de surpreender) e também pode acontecer depois de uma prescrição de antibióticos, como a penicilina ou tetraciclina(de novo, surpreendente).

Fontes sobre o estudo na Internet diz que a reação de Herxheimer é particularmente comum durante o tratamento de febre recorrente, sífilis, doença de Lyme, leptospirose, brucelose, febre tifoide, e triquinose; em particular, qualquer doença que envolve espiroqueta bactérias.

Se essa reação é particularmente grave, os médicos podem prescrever medicamentos anti-inflamatórios, a cada quatro horas durante vários dias, ou corticoides como a prednisona. Os doentes devem ser cuidadosamente monitorizados em caso dessa reação em doenças graves, seja com a prata ou antibióticos tradicionais, ficando alerta para o colapso e choque potencial. Em casos extremos, meptazinol, podem ser prescritos.

A reação de Herxheimer é uma reação perfeitamente normal que mostra que a Prata Coloidal está destruindo os patógenos. A Prata não diretamente, causa a reação de Herxheimer em PACIENTES GRAVES.

ATENÇÃO

Assim, qualquer pessoa que sofre deste efeito deve tentar manter o consumo de Prata Coloidal a uma dose mais baixa ou parar por alguns dias e, em seguida, reiniciar a dosagem de menor para maior.

A prata Coloidal Não é tóxica e deve-se ressaltar que a maioria das pessoas nunca experimentou a reação de Herxheimer.

O único “tratamento” mais eficaz para a reação de Herxheimer é água potável.

Todos os usuários de prata coloidal devem manter uma alta ingestão de fluidos e água em particular.

Se esta reação acontecer, então é melhor para aguentar o processo de desintoxicação, se possível, mesmo que tenha de ser feito por fases através da redução da ingestão (volume e frequência) de Prata Coloidal, tal como o é a limpeza corporal. Esta reação é um sinal que a carga parasitária é particularmente alta e a infecção ou outra é grave.

Um sintoma realmente grave é batimento cardíaco irregular, dificuldades respiratórias ou tossir tão grave que a pessoa não pode “recuperar o fôlego” ou inchaço significativo na garganta, nesse caso deve ser dada atenção médica imediata.

Resumindo, a reação de Herxheimer é causada pelo excesso de patogênese morto no organismo de uma única vez, onde o organismo não consegue eliminá-los em tempo hábil, ocorrendo uma intoxicação pelos micro-organismos mortos. Por isso, tanto com antibióticos, quanto com a prata é necessário avaliar a dosagem para que inicie gradativamente no caso de doenças graves.

Dessa forma, entenda que ingerir muito ou “mais forte” para resolver logo, pode te causar inúmeros desconfortos. Siga a norma do EPA.

Naturals Brazil

COMO TRATAR SUPER INFECÇÕES DE BACTÉRIAS RESISTENTES – MRSA COM A PRATA COLOIDAL

Postado em

MRSA é a sigla em inglês para Staphylococcus aureus resistente a meticilina (Methicillin-resistant Staphylococcus aureus). Essa é uma bactéria que está naturalmente presente na pele e que, ocasionalmente, pode invadir o corpo e causar uma ampla variedade de infecções.

Não só a Staphylococcus, mas outras bactérias tem se tornado, quando em áreas do corpo, onde não são características, encontrado condições para se tornarem super resistentes. Algumas delas segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde são) são:

Prioridade 1: CRÍTICO

Acinetobacter baumannii – infecções hospitalares em geral
Pseudomonas aeruginosa – infecções hospitalares em geral
Enterobacteriaceae – infecções hospitalares em geral

Prioridade 2: ALTO

Enterococcus faecium – infecções hospitalares em geral
Staphylococcus aureus – infecções cutâneas e sanguíneas, pneumonia
Helicobacter pylori – úlceras no estômago e câncer
Campylobacter spp. – diarreia
Salmonellae – diarreia
Neisseria gonorrhoeae – gonorreia

Prioridade 3: MÉDIO

Streptococcus pneumoniae – pneumonia
Haemophilus influenzae – meningite, pneumonia em crianças, infecções sanguíneas
Shigella spp. – diarreia

OUTRAS

Klebsiella pneumoniae (KPC)
Pseudomonas-aeruginosa

A maioria se torna hiper resistente, por estar em um ambiente que propicie seu desenvolvimento e pelo uso indiscriminado ou continuo de antibióticos que derrubam a imunidade e permitem que elas se desenvolvam e façam mutação.

Nesses casos, onde há colônias resistentes ou já um estado onde elas se espalharam pelo organismo, ou ainda sepse, sem comprometimento de órgãos, o que muito difícil, aconselha-se iniciar o tratamento com doses menores e ir aumentando, pois a mortandade de bactérias é muito grande e o organismo necessita de tempo para eliminar, sem sobrecarregar a corrente sanguínea e os rins com bactérias mortas.

Assim, inicie com 5 ml por 3 no mínimo, mude para 10 ml por mais 3 a 5 dias, 15 ml por mais 3 a 5 dias e depois pode chegar até 25 ml em casos muito graves. Assim, vão morrendo e sendo eliminadas aos poucos. Não esqueça de beber bastante água, moderar a alimentação e cuidar do sistema imunológico.

Dessa forma você evita o risco de Sepse, também conhecida como infecção generalizada ou septicemia, é uma condição de emergência de saúde potencialmente fatal. Ela acontece quando um quadro de infecção é agravado, fazendo com que o organismo não consiga controlá-lo devido a quantidade enorme de patógenos mortos.

Dessa forma, é preciso entender e observar as necessidades de cada pessoa, quanto mais detalhes você fornecer ao profissional que trabalha com a prata melhor, isso vai garantir, excelentes resultados a curto, médio ou longo prazo, pois cada pessoa é um ser único e cada caso é um caso.

Naturals Brazil